Nova regra do STF reacende a expectativa da “Revisão da Vida Toda”

No debate ocorrido na ADIN 5.399, o STF decidiu que serão mantidos os votos de ministros aposentados já proferidos em plenário virtual, mesmo após pedido de destaque.

A nova regra do STF também valerá para o julgamento da Revisão da Vida toda, resultando na manutenção do voto do Ministro aposentado Marco Aurélio, proferido em favor dos aposentados para determinar que os recolhimentos realizados em período anterior a 1994 também deverão ser considerados para fins de aposentadoria.

Assim, mantido o antigo placar de 6 a 5 em favor dos aposentados, a discussão pode ser encerrada, com a proclamação do resultado favorável para os segurados do INSS.

Para quem não se lembra, o julgamento havia ocorrido no plenário virtual, com 6 votos a 5 em favor dos aposentados, ocasião em que os Ministros apresentaram seus votos por escrito, sem qualquer debate. Entretanto, o cenário que beneficiava os segurados do INSS foi modificado no dia 08 de março de 2022, último dia do prazo para a confirmação da decisão do STF no plenário virtual, quando o Ministro Kássio Nunes Marques apresentou pedido de destaque para levar o julgamento para o plenário físico.

O destaque requerido pelo Ministro Kássio Nunes, evidentemente governista, representou verdadeira manobra para alterar o cenário até então favorável para os aposentados. Isto porque, caso o julgamento da revisão da vida toda se reiniciasse no plenário físico, o placar seria zerado, possibilitando o voto Ministro André Ministro André Mendonça, que ocupou a vaga do Ministro aposentado Marco Aurélio.

É evidente que a tendência do Ministro André Mendonça, também alinhado com os interesses meramente econômicos do Governo Federal, seria votar pela procedência do RE nº 1.276.977, o que resultaria em um placar de 6 votos a 5 em desfavor da tese da revisão da vida toda e na frustação da expectativa dos segurados do INSS.

Com a nova regra do STF que mantém o voto do Ministro aposentado, caso nenhum dos ministros que já votaram em favor da revisão da Vida Toda altere o seu julgamento, a possibilidade da revisão em questão será definida com a proclamação do resultado favorável para os segurados pelo Ministro Luiz Fux, presidente do STF.

É importante destacar que a revisão da vida toda somente é possível para os segurados que se aposentaram ou receberam benefício de Auxílio Doença durante os últimos dez anos e antes da reforma previdenciária ocorrida em 13 de novembro de 2019, sendo o prazo contado a partir do primeiro dia útil posterior ao recebimento do primeiro pagamento do benefício.

Fonte: Geraldo Marcos Advogados

Imagem: Couple laptop photo created by Drazen Zigic – www.freepik.com

0

Postagens relacionadas

Tribunal determina restabelecimento de…

A Sétima Turma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3) determinou ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) restabelecer o auxílio-doença a uma auxiliar de escritório com visão subnormal.…
Consulte Mais informação

Justiça concede aposentadoria por…

O juiz da 2ª Vara Cível de Campinas, Lucas Pereira Moraes Garcia, concedeu liminar em ação ingressada por uma bancária do Banco do Brasil, afastada do trabalho por problemas na…
Consulte Mais informação