Justiça restabelece auxílio-doença por liminar e, em sentença, o converte em aposentadoria por invalidez.

Em demanda patrocinada pelo escritório Geraldo Marcos Advogados, uma segurada do Regime Geral de Previdência Social ingressou com ação pleiteando o restabelecimento do benefício previdenciário auxílio doença e/ou concessão da aposentadoria por invalidez, mediante a declaração de nulidade do cancelamento do auxílio-doença e a condenação do INSS na obrigação de fazer concernente a restabelecer o benefício cancelado ilegalmente, enquanto perdurar a condição de incapacidade para o trabalho; bem como a condenação no pagamento dos proventos vencidos, tudo corrigido monetariamente e acrescido de juros de mora. Sucessivamente, requereu a condenação do INSS ao pagamento de danos morais em virtude do cancelamento do benefício de forma arbitrária e ilegal.

No início do processo, a título de tutela antecipada, a segurada logrou o restabelecimento do Auxílio Doença. Posteriormente, na sentença, a Exma. Juíza Federal da 15ª Vara da Seção Judiciária de Minas Gerais julgou parcialmente procedentes os pedidos da segurada e retificou a tutela antecipatória concedida para determinar, de imediato, a substituição do benefício auxílio doença pelo benefício de aposentadoria por invalidez, com seus efeitos legais e patrimoniais desde a data do requerimento administrativo.

Por disposição legal, esta decisão será reexaminada pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região. Outrossim, visando a condenação do INSS ao pagamento de danos morais, a segurada interpôs recurso de apelação neste ponto.

Processo relacionado: nº 1863-57.2009.4.01.3800 – JFMG.

0

Postagens relacionadas

TRF3 garante o saque…

A Primeira Turma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3) garantiu o saque do FGTS a um portador de cardiopatia grave. O caso trata de um portador de doença…
Consulte Mais informação

Justiça garante direito de…

O Juízo da Vara Cível da Comarca de Feijó determinou ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que conceda benefício de amparo assistencial previsto na Constituição Federal de 1988 a…
Consulte Mais informação

Já pensou em recalcular…

As emendas constitucionais 20/98 e 41/03 elevaram o teto previdenciário para R$ 1.200,00 e R$ 2.400,00, respectivamente. O INSS entende que os novos tetos valem apenas para benefícios concedidos após…
Consulte Mais informação