Faculdade de Direito é condenada por assédio moral à professora

Uma instituição de ensino superior de São José do Rio Preto/SP terá de indenizar professora que sofreu assédio moral por parte de coordenadora do curso de Direito. Decisão é da 1ª câmara da 1ª turma do TRT da 15ª região.

Trata-se de reclamação trabalhista envolvendo uma série de pedidos: diferença salarial, salário por fora, dissídios, plano de saúde, horas extras etc. A autora alegou, entre os pedidos, que sofreu assédio moral por parte da coordenadora, requerendo indenização por danos morais.

Na decisão, o relator, desembargador José Carlos Abile, destacou que o texto constitucional valorou sobremaneira a dignidade da pessoa humana, bem como enalteceu o valor social do trabalho e, nesse contexto, consagrou a possibilidade de buscar indenização decorrente de dano moral. Disse ainda que o assédio moral ocorrido dentro do ambiente de trabalho configura-se pela deliberada degradação das condições de trabalho, onde prevalecem atitudes e condutas negativas dos superiores hierárquicos em relação a seus subordinados – o que considerou ser o caso em análise.

Para ele, a prova fornecida demonstrou que a coordenadora atuava de maneira inadequada no trato com os professores, o que provocou até mesmo um manifesto por parte deles. Ele também destacou que a reclamante e outros professores comunicaram a atitude irregular da referida coordenadora à direção da reclamada que, todavia, não tomou nenhuma providência.

Configurado o assédio moral, foi fixado o valor de R$ 8 mil de indenização.

Fonte: Migalhas – https://www.migalhas.com.br/quentes/363801/faculdade-de-direito-e-condenada-por-assedio-moral-de-coordenadora

Imagem: Exhausted photo created by wayhomestudio – www.freepik.com

0

Postagens relacionadas

Banco indenizará ex-empregada que…

A Justiça do Trabalho determinou o pagamento de indenização por danos morais, no valor de R$ 10 mil, à ex-empregada de um banco que sofreu acidente durante o deslocamento para…
Consulte Mais informação

Professor receberá horas extras…

A 1ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (TRT1) confirmou a condenação de uma instituição de ensino ao pagamento de horas extras a um professor. A decisão…
Consulte Mais informação

Bancária que sofreu retaliação…

Uma bancária de João Pessoa (PB) deve receber indenização de R$ 50 mil porque o Banco Santander (Brasil) S.A. suprimiu o pagamento de uma gratificação recebida por 22 anos como…
Consulte Mais informação