Justiça do Trabalho multa Banco do Brasil por descumprir sentença que reconduziu bancário a cargo

A Justiça do Trabalho de Belo Horizonte multou o Banco do Brasil após a instituição descumprir decisão judicial em uma ação movida pelo Sindicato por meio da assessoria do Escritório Geraldo Marcos Advogados Associados. Mesmo após determinação da Justiça, o BB não reconduziu um bancário ao cargo de Gerente de Relacionamento. Ele havia perdido a função devido a um processo administrativo instaurado injustamente.

Na decisão, a Justiça do Trabalho fez uma dura reprimenda ao banco por seu desrespeito ao Judiciário. Além disso, o BB foi condenado a pagar multa de 20% do valor da ação, em favor da União, além de ter um prazo de 72 horas para reconduzir o funcionário ao cargo.

A decisão está sujeita a recurso. No entanto, ela já representa uma grande vitória para o autor por meio da firme atuação do Sindicato e de sua assessoria jurídica.

Veja, abaixo, como se manifestou a Justiça:

“(…)

O Banco do Brasil não entendeu a decisão transitada em julgado, proferida pela 7a. Turma do Eg. Regional?

O Banco do Brasil tem algum ressentimento em relação ao autor e quer chateá-lo? Há algo pessoal para que a instituição financeira proceda da maneira como tem agido?

Quantas determinações judiciais têm que ser proferidas nesse feito para que o Banco do Brasil, simplesmente, cumpra a coisa julgada?

Aliás!! O Banco do Brasil sabe o conceito de coisa julgada? Ato jurídico perfeito? O dístico de Scassia?1

As respostas para essas proposições são óbvias!

O Banco do Brasil compreende a sua condenação, só não quer cumpri-la, em prejuízo deste Juízo (que a rima não incomode os leitores) e em prejuízo da parte contrária.

(…)

In casu, a atuação maliciosa, mendaz, renitente do Banco não tem sido ignorada pelo Juízo, mas fato é que as penalidades já aplicadas não têm surtido o efeito que se pretende; a reprimenda ao achincalhe do Banco com o Poder Judiciário e com a parte contrária deve ser mais forte, a bem não só dos participantes do processo, mas a bem de toda a sociedade que espera um provimento judicial justo e célere a quem tem direito.

Verdade seja dita: quanto desgaste, quanto trabalho, quanto tempo em um só processo; por puro espírito de procrastinação daquele tipo de devedor que pode pagar – e como pode – mas não quer.

(…)

Dito isso, certo é que in casu além dos inúmeros atos atentatórios a dignidade da Justiça – ofensa ao Poder Judiciário do Estado – o reclamado também incorreu em clara litigância de má-fé, descumprimento seu dever de lealdade e boa-fé também com a parte contrária e, reitere-se, já foi até condenado por tal forma de litigância.

(…)

Por tudo o que consta acima, DECIDO:

a) (…);

b) condenar o Banco do Brasil a pagar multa de 20% sobre o valor da causa, a favor da União (art. 77, §2º e 3º), sem prejuízo das outras multas já impostas;

c) (…);

d) conceder ao Banco do Brasil o prazo de 72hrs (setenta e duas horas) para reconduzir o reclamante ao cargo de gerente – classificação/função código 04687, sob pena de multa de R$100.000,00 (cem mil reais) por dia de descumprimento, sem prejuízo das outras multas já impostas;

e) Oficiar o Banco Central do Brasil, com cópia da presente decisão, para providências administrativas cabíveis em face de executado, com o envio de cópia a este Juízo.”

 

Fonte: Sindicato dos Bancários de BH e Região

Imagem: Image by pressfoto on Freepik

0

Postagens relacionadas

Bancária poderá fazer teletrabalho…

Por unanimidade, a Terceira Turma do Tribunal Superior do Trabalho manteve decisão que atendeu ao pedido de uma escriturária do Banco do Brasil, em Natal (RN), para trabalhar em regime…
Consulte Mais informação

Bancários vencem ação e…

A 4ª Vara do Trabalho de Curitiba proferiu decisão favorável à nulidade do processo de terceirização, que transferiu bancários do Santander para a empresa SX Tools, como comerciários, realizada em…
Consulte Mais informação

Banco é condenado a…

A Justiça do Trabalho determinou que um banco indenize a ex-gerente de uma agência por danos morais, após a trabalhadora desenvolver Síndrome de Burnout. A decisão, proferida pelo juiz Fábio…
Consulte Mais informação