Avô paterno e tio materno terão tutela compartilhada de menor

A 11ª câmara Cível do TJ/PR concedeu pedido de tutela compartilhada de adolescente com o tio materno e o avô paterno. Seguindo voto do relator, desembargador Dalla Vecchia, colegiado observou que a própria adolescente demonstrou interesse da tutela compartilhada.

Consta nos autos que os pais de adolescente faleceram e foi negada tutela compartilhada entre o tio e o avô.

Nas razões do recurso, o avô paterno alegou estar apto a exercer conjuntamente com o tio materno a tutela compartilhada da neta. Ainda, não se opôs que a residência de referência seja a do tio, podendo ser permitida a visitas aos avós no final de semana. Por fim, pediu a fixação da tutela compartilhada.

Ao analisar o caso, o relator, desembargador Dalla Vecchia, observou que tanto estudo social, como a manifestação do MP foram favoráveis à concessão da tutela compartilhada, por entenderem não haver óbice na sua concessão.

O magistrado ainda observou que a própria adolescente demonstrou interesse de ser assistida pelo tio materno em conjunto com o avô.

“Assim, não vislumbro óbice na concessão da tutela compartilhada, possibilitando que todos os interessados prestam a assistência necessária e fundamental a [adolescente], que, pelo infortúnio da perda precoce de seus pais, depende desta medida para ser representada legal e administrativamente nos afazeres de sua vida.”

Já em relação à visitação, o desembargador fixou que deverá ser acordada entre os tutores e a adolescente, de modo que tal situação se adeque aos interesses e disponibilidades dela.

Assim, conheceu e deu provimento ao recurso do avô paterno para o fim de estabelecer a tutela compartilhada da menor. A decisão foi unânime.

 

Fonte: Migalhas

Imagem: Image by Freepik

0

Postagens relacionadas

Morte de cônjuge durante…

É possível decretar o divórcio na hipótese de falecimento de um dos cônjuges após a propositura da respectiva ação. Assim decidiu, de forma unânime, a 4ª Turma do Superior Tribunal…
Consulte Mais informação

Pai que não pagou…

Em São Paulo, um homem que deixou de pagar pensão alimentícia foi condenado por abandono material do filho. A decisão da 10ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça…
Consulte Mais informação

Justiça de São Paulo…

A 11ª Vara de Fazenda Pública de São Paulo concedeu liminar para retomar o benefício de uma mulher que recebe pensão pela morte dos pais, suspensa após ela estabelecer união…
Consulte Mais informação