Tribunal Reconhece Que Aposentado de Belo Horizonte Pode Desaposentar.

Em demanda patrocinada por Geraldo Marcos Advogados, um aposentado de Belo Horizonte teve reconhecido o direito à desaposentação. A decisão unânime foi proferida pela 2ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região. A Relatora, Desembargadora Neusa Alves, que à princípio defendia a impossibilidade de renúncia do benefício, passou a adotar o entendimento que prevalece no Superior Tribunal de Justiça, e permitiu a substituição de uma aposentadoria proporcional por outra com proventos integrais e fator previdenciário mais expressivo. Com isso, o aposentado terá ganhos de mais de 35 % do que recebe mensalmente do INSS.

A Relatora ainda afastou a possibilidade de restituição dos valores recebidos pelo aposentado durante a fruição do beneficio renunciado. Consta do voto da Desembargadora Neusa Alves: “A conclusão é de que, sendo a aposentadoria um direito patrimonial disponível e, portanto, passível de renúncia para fins de aproveitamento de contribuição e concessão de novo benefício, seja no mesmo regime ou em regime diverso, não implica devolução dos valores percebidos durante o tempo em que foi usufruída, pois enquanto o segurado esteve nesta condição fazia jus ao benefício.”

Vale lembrar que existe um caso paradigmático sobre a desaposentação aguardando julgamento no Supremo Tribunal Federal. A decisão a ser proferida pela Suprema Corte vai parametrar todos os outros casos em trâmite no Poder Judiciário que ainda não foram definitivamente julgados.

0

Postagens relacionadas

TRF3 garante o saque…

A Primeira Turma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3) garantiu o saque do FGTS a um portador de cardiopatia grave. O caso trata de um portador de doença…
Consulte Mais informação

Justiça garante direito de…

O Juízo da Vara Cível da Comarca de Feijó determinou ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que conceda benefício de amparo assistencial previsto na Constituição Federal de 1988 a…
Consulte Mais informação

Já pensou em recalcular…

As emendas constitucionais 20/98 e 41/03 elevaram o teto previdenciário para R$ 1.200,00 e R$ 2.400,00, respectivamente. O INSS entende que os novos tetos valem apenas para benefícios concedidos após…
Consulte Mais informação