Banco é condenado a indenizar servidor por cobranças de um cartão que ele nunca recebeu

Professor da Universidade Federal de Minas Gerais após reiteradas vezes rejeitando a oferta do Banco BMG S/A em adquirir o “cartão do servidor”, decidiu autorizar, por telefone, a emissão do referido cartão, porém nunca o recebeu e sequer conhece a senha para sua utilização.

Na sequência, o servidor público começou a receber as faturas do referido cartão, onde verificou que o cartão estava sendo utilizado por terceiros e que o saldo devedor era de aproximadamente R$ 20.000,00 (vinte mil reais). Além disso, o banco passou a efetuar descontos mensais em seu contracheque, com a justificativa de quitação do débito.

Desta forma, foi ajuizada ação pelo Escritório Geraldo Marcos Advogados, e em decisão de primeira instância, foi declarada a inexistência do débito decorrente da utilização do cartão e o banco foi condenado a não realizar novos descontos em seu contracheque, a restituir os valores que foram indevidamente quitados e a pagar a quantia de R$ 4.000,00 (quatro mil reais), à título de indenização por danos morais.

Fonte: Geraldo Marcos e Advogados Associados

Imagem: Freepik

0

Postagens relacionadas

Prótese dentária gera indenização

Paciente deve receber R$ 6 mil por danos morais A 11ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) alterou decisão de 1ª Instância e condenou a clínica…
Consulte Mais informação

Consumidoras serão indenizadas por…

Falha de serviço ocorreu na hora programada para festa. Cemig atribuiu problema a raios A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) deverá indenizar três pessoas em R$ 7.941,30 por danos…
Consulte Mais informação

Banco é condenado a…

Um cliente não pode ser responsabilizado por pagar uma dívida que ele não fez. A partir desse entendimento, a 1° Câmara Cível do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJ-PB) condenou…
Consulte Mais informação